Uma pergunta que eu sempre me faço é por que os gatos amam tanto dar suas fugidinhas de noite e como conseguem voltar por um caminho que não conheciam. Por que ficam horas desaparecidos e depois voltam como se nada tivesse acontecido?

Pesquisando sobre o assunto, achei uma explicação super bacana no blog do Dr Pet e achei interessante postar aqui!  A adestradora e consultora comportamental da Cão Cidadão, Claudia Terzian, diz que para entender esta questão é importante primeiro compreender como funciona a vida social, a importância do território e as capacidades sensoriais felinas.

“O território

Os bichanos são animais fissurados em conhecer e controlar seu território. Este se subdivide em várias áreas. A casa corresponde a área de alimentação, lazer e descanso. É uma pequena parte do território onde ele se sente seguro. Apenas os moradores da casa permanecem e transitam nela. Fora da casa existe uma área de circulação maior, em que estão os parceiros sexuais, a caça e na qual são tolerados um número maior de gatos e outros animais. Os passeios acontecem principalmente ao anoitecer ou de madrugada, e costumam ser bem mais longos do que seus donos imaginam. Alguns bichanos chegam a se afastar até dois quilômetros de suas casas!

Durante estes passeios acontecem os barulhentos encontros entre os gatos que moram naquela região. Quando uma ou mais fêmeas deste território entram no cio os machos das proximidades são atraídos e podem não retornar para casa por alguns dias.

Memória visual e olfativa

Os gatos enxergam o mundo com cores e de forma diferente, mas têm boa memória para reconhecer praças árvores ou prédios e se orientar por eles. A memória visual trabalha em conjunto com a olfativa. Uma confirma a outra.

A capacidade olfativa dos gatos é incrivelmente superior a humana, perde apenas para os cães! Plantas, casas, lojas, ruas e regiões possuem cheiros específicos, que ajudam a reconhecer os locais. Eles podem se localizar também pelo odores deixados pelos animais que circulam pela região. Os bichanos que costumam percorrer grandes distâncias estão bem familiarizados com esses cheiros. Aqueles que praticamente nunca saem de casa recebem uma parte desses odores, que são trazidos pelo vento.

Uma vez reconhecida a pista olfativa, ainda é preciso descobrir em que direção caminhar, e os gatos podem ir e vir buscando mais cheiros, até acertar. A direção do vento é outro fator importante tanto para guiar o felino, quanto para trazer os odores que podem estar bem distantes. Da mesma forma, pequenas mudanças do vento podem fazer com que ele se perca novamente.

Gatos com múltiplos donos

E vocês sabiam que gatos de vida livre podem ter mais de um dono?! Pois é! Podem tomar o café da manhã em uma casa a almoçar em outra! O outro dono pode resolver não deixá-lo mais passear e somente quando conseguir fugir ele aparecerá novamente. Se ele estiver em outra casa e um bichano da redondeza decidir expulsá-lo da área da sua casa, ele pode permanecer na outra casa por algum tempo, até que possa voltar.”

Texto Claudia Terzian (adestradora e consultora comportamental da Cão Cidadão)

Por Karla Keunecke

♥♥♥

Fonte: Blog do Dr Pet

Foto: Imotion