Olá pessoal, tudo jóia?

Meus pequenos completaram dois anos em agosto e já estou visitando escolas há algum tempo para conhecer, sentir o clima e principalmente chegar em um denominador comum entre o que eu quero, o que eu sinto, e o que eu posso pagar.

Eu e meu marido falamos inglês, e simplesmente amamos a liberdade que o inglês nos dá. Já viajamos para todo canto do mundo e comprovamos como é incrível conseguir se comunicar em qualquer lugar. Fora ter acesso a textos, livros e informação nessa língua que eu amo tanto!

Pesquisei bastante sobre educação bilíngue, prós e contras, e honestamente só encontrei prós. No começo do boom de escolas bilíngues no Brasil, alguns profissionais deram suas opiniões sobre o assunto. Mas vejam bem, eu disse opiniões, pois ainda não haviam dados e turmas formadas para constatar nada. Algumas dessas opiniões se difundiram, como causar gagueira ou confusão na assimilação do idioma materno. Mas com o tempo nada disso se confirmou, e pelo contrário, as crianças não só dão conta de aprender dois idiomas ao mesmo tempo, como formam caminhos cognitivos diferentes no cérebro, usando melhor suas capacidades em diversos campos.

escolhendo escola

Nós aqui em casa decidimos que queríamos “tirar” o aprendizado do inglês da frente deles. Nem eu, nem meu marido tivemos dificuldades de aprender o inglês, foi fácil e natural, mas eu vi muitos amigos meus ralando para aprender. Tendo que parar tudo, estudos , trabalho e viajar por um tempão para estudar. Então se é possível que meus filhos já cresçam sabendo, por que não?

Moro na zona oeste de São Paulo e existe uma oferta grande de escolas bilíngues por aqui. Comecei a visitar e já tomei um susto logo de cara com os valores. Por volta de R$2.300,00 por criança! Uau, tem que ganhar muito dinheiro para pagar tudo isso não? Lembrando que eu tenho gêmeos pessoal… Tudo em dobro!

Comecei a visitar também escolas bacanas que não tem metodologia bilíngue afinal, as bilíngues não estavam cabendo no meu bolso.

Encontrei algumas muito bacanas! Eu comecei a minha procura com a régua lá em cima. Eu queria escolas com bosque, naturebas, com muitas atividades, animais, água, nossa, era tanta coisa! E olha, encontrei algumas assim, mas engraçado que o meu coração não ficou tranquilo com nenhuma delas.

A tarefa estava ficando cada vez mais complicada. Já desistindo da ideia do inglês, comecei a pesquisar escolinhas de inglês para complementar os estudos deles, mas a conta não fecha, pagando escola + escola de inglês ficava o mesmo preço das bilíngues.

escolhendo escola

Outro ponto que estava pesando na nossa decisão era a distância de casa. Nós temos só um carro, e meu marido usa ele para trabalhar. Colocar eles em uma escola que precisasse de carro para levar e buscar trazia para a conta mais uma parcela de carro, seguro, IPVA. Ui! Estava ficando caro!

Bom, saí a pé pelo meu bairro visitando as escolas que daria para ir andando, minha “régua” a essa altura do campeonato já estava bem mais baixa, procuro um lugar limpo, organizado e com crianças felizes. Afinal de contas, é a pré escola, o principal motivo para eles frequentarem a escola agora é a socialização, e para isso esses três pontos são fundamentais.

Para minha surpresa encontrei no mesmo quarteirão da minha casa uma escolinha fofa, pequena, onde as crianças são cuidadas de perto. Alimentação toda orgânica, sustentável e fresquinha. Profissionais bem treinados, limpa e organizada. E o melhor? Bilíngue!!! Sim! Nem acreditei! Por ser uma escolinha pequena a mensalidade tem um valor ótimo e pasmem, o meio período lá é de seis horas, e não quatro horas como a maioria das escolinhas.

O próximo passo foi levar o marido para conhecer, ele adorou também. E depois, no dia de fazer a matrícula eu levei as crianças para ver como eles se comportariam lá, como iriam se sentir. Eles estão muito ansiosos para ir para a escola, mas não sabiam o que era a tal da escola, e aconteceu uma cena que eu nunca vou esquecer na minha vida! Chegamos na porta, entramos e ficamos aguardando na recepção, quando abriram as portas da escola e nós três (eu, Nina e João) entramos de mãos dadas, eu vi o rostinho deles se iluminando de encantamento por finalmente conhecer a tão falada escola. As mãozinhas apertaram a minha bem forte, uma mistura de medo e ansiedade, foi demais! Que experiência linda! Logo eles já se aproximaram das outras crianças e estavam bem soltos curtindo e conhecendo todos os espaços. Recomendo muito levar seu filhote com você na escola escolhida, observar bem como eles se sentem é fundamental!

Me encantei, consegui encontrar o denominador comum, me senti muito bem lá, cabe no meu bolso e vai “tirar” o inglês da frente dos filhotes! Matrícula feita e agora com o coração na mão para começar essa nova fase da vida deles. Vou contando para vocês aqui os próximos passos!

Beijos,

Kaká