Ninguém sabe ao certo como a tradição foi criada, mas a única coisa da qual temos certeza é de que ela surgiu aqui mesmo no Brasil com o objetivo de ajudar na lua de mel dos noivos.

A brincadeira consiste em passar a gravata usada pelo noivo entre as mesas com uma tesoura e pedir uma contribuição. Conforme as pessoas doam o dinheiro, um pedaço da gravata é dado como símbolo de premiação e sorte.

O grande problema é que a brincadeira também pode ser vista de forma deselegante pelos convidados. Muitas vezes as pessoas acabam por não andar com dinheiro, somente cartão, e algumas mulheres optam por levar somente o essencial dentro da clutch, impedindo-as de contribuir e proporcionando um certo desconforto.

Outro empecilho são as pessoas que realmente não têm dinheiro para contribuir e também não querem dar pouco para não serem mal vistas. Lembre-se: os convidados também participaram de chá-bar, chá de lingerie, lista de casamento, compraram roupa, arrumaram os cabelos, fizeram maquiagem e, muitas vezes, ainda serão convidadas para o open house.

Existem também noivos que não querem que a gravata seja cortada e mandam fazer miniaturas para serem entregues quando o convidado contribuir.

lembrancinha-de-casamento-gravatas

Veja também: Buquê: história, tradição e inspiração e Casamento diurno, por que fazer?

Mas para as famílias que acreditam que não passa de uma grande festa, a tradição é bem-vinda, desde que não incomode quem não quer participar e nem coloque os convidados em uma situação de “saia justa”.

Confira algumas inspirações de gravata para o grande dia:

gravata do noivo

gravata do noivo

gravata do noivo

gravata do noivo

1 (1)huh

como-usar-gravata-borboleta