Pets


Pets no casamento | Casamentando com Pri Vicente

Sou uma apaixonada por animais, todos eles! E é muito comum papais de pets quererem que os filhotes de 4 patas participem desse momento tão especial!

Eu mesma queria que a minha cachorra levasse as alianças no dia do meu casamento, o que acontece bastante hoje em dia!


 

Cachorros são os mais requisitados para participarem desse momento, mas tem também quem queira chegar com cavalos, até papagaio já vi entrar em cena, quando a noiva quis ter um realejo com mensagens de amor pela festa!

 

Pets no casamento criatividade e muito amor!

Criatividade é o que não falta quando falamos de pets, porém alguns cuidados são sempre muito importantes para garantir que tudo ocorra bem, tanto para os convidados quanto para os animais.

 

Segurança e Cuidado!

Primeira coisa que temos que ficar atentos são as regras da Vigilância Sanitária.

Se você for fazer a cerimônia no mesmo local da festa e se na sua festa tiver alimentos, o correto é o espaço não autorizar a entrada do seu pet.

O realejo, por exemplo, o evento foi idealizado com ele passando de mesa em mesa na hora da festa, porém a noiva teve que se contentar com o papagaio animando os convidados na fila da entrada do salão, o que acabou sendo muito conveniente e interessante!

 

Para aqueles que estão pensando em investir em uma charrete como meio de locomoção, vale indagar a empresa contratada sobre as formas de prevenir com que as necessidades do animal não sejam feitas durante o trajeto ou até mesmo na porta da igreja. Também é importante garantir que esses meios de prevenção não afetem o bem estar do animal de qualquer forma!

 

Falando sobre os cachorros, que geralmente são da própria família, até mesmo de algum dos noivos, fica mais difícil deixar o emocional de lado para avaliar friamente as possibilidades e definir a melhor decisão a ser tomada, não é mesmo?

Algumas perguntas que devem se fazer antes de optar por levar os animaizinhos para o grande dia:

  • Meu animal se sentirá confortável no meio de tanta gente e com tanto barulho?
  • Meu animal irá pular em mim ou em meus convidados podendo causar desconforto ou até mesmo sujar ou rasgar a roupa de alguém?
  • Terá alguém para cuidar dele antes, durante e depois da cerimônia?
  • Alguém que irá garantir que ele se alimente e beba água adequadamente, faça suas necessidades longe da cerimônia e leve ele de volta para casa em segurança depois que a cerimônia acabar?

De qualquer forma, existem várias opções para seu cachorro participar do grande dia, seguem algumas dicas:

No save the date

 

No ensaio fotográfico pré casamento

 

Carregando plaquinhas

 

Vestidos de noivinha e noivinho

 

Levando as alianças

 

Sendo levado por quem leva as alianças

 

Ou até mesmo uma simples representação no topo de bolo já pode demonstrar o seu carinho pelo seu pet

 

Enfim, opção é o que não falta para incluir seu pet no grande dia. Eu optei por registrar meu momento com a Chichi (pronuncia-se kí-kí) no making off do dia da noiva, mas não há regras!

Veja com você e seu pet vão ficar mais felizes nesse dia tão especial!!! E não esqueça de nos mandar fotinhos depois… Aí segue a minha:

 

Por:
Priscila Vicente
Produtora e organizadora de eventos na empresa Antes do Sim consultora especializada.

Leia mais...
Casare - Seu Site de Casamento mais Elegante!

Quero um convidado que tenha 4 patas | Pet no Casamento

Está cada vez mais comum convidar o seu cachorro para ser o pajen ou daminha, levando as alianças ao altar, mas a decisão requer cuidado para que a fofura não se transforme em problema.

O primeiro ponto a ser decidido é qual o papel que o seu pet vai ter no casamento. No caso de ele ser escolhido para levar o par de alianças para o casal, lembre-se que o cachorro deve ser adestrado pelo menos seis meses antes da cerimônia. Algumas pessoas optam por usar alguns truques, como levar um bichinho que chama atenção ou um petisco gostoso, mas é uma manobra arriscada, já que serão muitas pessoas presentes no dia e ele poderá ficar confuso.

5360270516b5c1a086c6e955518f47a0

Para os mais bagunceiros, a alternativa é levá-lo na coleira ou no colo até o altar. Assim, ele participará da celebração sem correr riscos de imprevistos. Outro ponto a ser revisado é se o local em que a cerimônia será celebrada permite a entrada de cachorros. Muitas igrejas negam o pedido.

dog-at-wedding-picture2 cachorros-no-casamento

Dogs-in-Weddings-4-Jordan-McBride1

055

Veja também: Pets no Bolo e Festa Pet

Seu totó é um amor, mas é antissocial? Opte por incluí-lo somente nas fotos do casamento, ao lado do casal, em um momento mais descontraído.

cachorro-em-casamento-2 foto26 8b3ab85610d912478ad4de85571d63ae

Não esqueça que seu pet também precisa de cuidados! Em casamentos ao ar livre, celebrados no alto verão, certifique-se que o seu cachorro esteja sempre muito bem hidratado e que não esteja desconfortável com a roupa escolhida. Em dias frios, o ideal é transportar a cama que o cachorro já está acostumado a dormir (ou pelo menos levar uma almofada) para colocá-la em um canto exclusivo para que ele possa se esquentar e relaxar. Tente deixá-lo tranquilo até o momento da cerimônia, mantendo-o longe dos convidados para evitar a agitação e o estresse.

Agora é só curtir o casamento ao lado do seu melhor amigo!

Leia mais...

12 razões para seu cão estar no seu casamento

É muito fácil esquecer dos nossos amiguinhos pets no grande dia. Afinal, são muitas preocupações e muito nervosismo. Mas aqui estão 12 boas razões ilustradas pelas quais você não pode deixar seu bichinho de fora nessa data tão importante:

1- Ele vai ficar muito triste com você.
cachorro-no-casamento (1)

2- Ele já preparou o figurino.
cachorro-no-casamento (2)

3- Ele está pronto para o seu close-up.
cachorro-no-casamento (3)

4- Sério, esse smoking não vai se vestir sozinho.
cachorro-no-casamento (4)

5- Ele sonha em ser padrinho há décadas!
cachorro-no-casamento (5)

6- Ele sempre cuidou de você.
cachorro-no-casamento (6)

7- Afinal, ele é o melhor amigo do homem.
cachorro-no-casamento (7)

8- E você é praticamente da família.
cachorro-no-casamento (8)

9- Você sabe que ele só quer te proteger.
cachorro-no-casamento (9)

10- Ele pode ser um ótimo carregador de alianças.
cachorro-no-casamento (10)

11- E ele vai te dar espaço para o romance…
cachorro-no-casamento (11)

12- Mas não muito.
cachorro-no-casamento (12)

Fonte: Rock’n’Roll Bride

Leia mais...

Aqueça seu pet nesse inverno!

Já estamos chegando naquela época de frio intenso, o ponto forte do inverno. Se precisamos aumentar nossos cuidados com a temperatura, nossos bichinhos também precisam dessa atenção. Se estiverem desprotegidos, eles podem pegar gripes, viroses ou ficar extremamente desconfortáveis.

Mas como cuidar deles? Não podemos tratá-los como gente, afinal, animais não sabem falar que estão com frio. Peludo, pelado, ou cheio de penas, hoje separamos algumas dicas de como protegê-los.

01-como-fazer-uma-cama-para-cachorro-usando-moletom-velho

CÃES

Nem todo cão precisa de roupinhas. Vista seu cachorro apenas na hora de sair de casa, caso tenha pelo curto e more dentro de casa. Animais acostumados com o exterior não precisam de roupas. Com os cães peludos, o cuidado é ainda menor: basta fazer tosas com menos frequência, deixando o pelo mais alto.

Coloque a imunização em dia. especialmente a vacina contra a tosse dos canis, que ajuda a proteger os animais também da gripe. Não vale esquecer as outras vacinas necessárias ao cachorro, como a anti-rábica, a múltipla e a contra a giárdia.

Choques de temperatura são perigosos! Não tire seu animal do banho quente para o ambiente frio bruscamente. Agasalhe-o, ou deixe que ele fique no ambiente quente por algum tempo até que se adapte gradualmente à temperatura.

Cães idosos sofrem mais com o frio e tendem a desenvolver artrose com as mudanças de temperatura do início de inverno. Pergunte ao veterinário se algum medicamento ou suplemento alimentar pode ajudar o seu animal.

Cuidado com recém-nascidos. O filhote leva cerca de um mês, um mês e meio, opara começar a se adaptar com a variação de temperatura.  Após esse período, proteja do frio da mesma maneira que se faz com um adulto. Mas não o exponha a mudanças bruscas de temperatura.

Observe os sinais de doenças. O comportamento do animal não muda muito no inverno. Por isso procure um veterinário, caso o cão esteja amuado, tossindo ou espirrando e com secreções no nariz durante um ou dois dias. Esses são sintomas de infecção bacteriana. Não dê remédios de seres humanos, eles podem machucar seu animal.

Tosses secas não necessariamente indicam doença,mas incômodo com o ar frio e seco. Para trazer bem-estar ao animal, umedeça o nariz com inalações de soro fisiológico ou deixe uma bacia cheia de água ou pano úmido no ambiente.

gato-getty-images

GATOS

Nada de roupas nos gatos! Eles detestam, e alguns ficam até amuados e param de comer até que se tire a roupa.

Faça ninhos quentes para o gato: vale um edredom, iglu, daqueles vendidos em loja de animais ou até a colcha do sofá. Isso porque os gatos sofrem mais com o frio do que os cachorros, mas detestam roupas. Se você tiver mais de um gatinho, melhor ainda: eles vão dormir juntos para se aquecer.

Cuide dos idosos e filhotes, eles são mais suscetíveis ao frio. Seu veterinário pode ajudar nessa questão.

Aumente a frequência de escovações no frio: escove os pelos ao menos três vezes por semana. Na estação fria, os animais tendem a se lamber mais, acabam engolindo muita pelagem e formam mais bolas de pelo no estômago. Caso engulam pelo demais, os gatos podem ter até constipação intestinal.

passaros-com-frio-claudia-sissi-jung

PÁSSAROS

Proteja a gaiola com um lençol ou manta, dependendo de quão frio o tempo estiver. Não tenha medo de cobrir a gaiola toda, a ave se sente mais protegida assim.

Mantenha a gaiola longe das correntes de ar. As plumas do pássaro funcionam como um casaco de lã, mantendo as aves aquecidas, mas vulneráveis aos ventos.

Evite os aquecedores, eles deixam o ar mais seco. Prefira lâmpadas aquecedoras, especialmente as de cerâmica, que geram calor, mas não iluminação. Coloque-as fora da gaiola, mas focadas para a casa do pássaro. Assim, o animal poderá escolher entre zonas mais quentes e outras mais frescas no seu espaço.

Coloque toalhas molhadas ou copos d’água do lado de fora da gaiola para driblar as quedas de umidade.

Quando o pássaro está sofrendo com o frio, fica com penas eriçadas em um canto da gaiola, quieto demais. Talvez seja a hora de aquecê-lo. Mas não precisa de desespero. Normalmente, os pássaros ficam mais calmos no inverno e também podem mudar as penas.

Enriqueça a alimentação das aves com um suplemento à base de proteína, encontrado em lojas de animais. Antes de dar qualquer suplementação, passe no veterinário.

 Fonte: Casa Abril

Leia mais...
FacebookTwitterInstagramPinterestRSSFacebookTwitterInstagramPinterestRSS