Daminhas e Pajens


Quando o fofo pode ser ainda mais – Pajens e Daminhas | Casamentando com Pri Vicente

Após anos organizando pajens e daminhas nos casamentos, eis que chega minha hora de estar “do lado de lá”.

Pajens e daminhas

Sim, vou ser mãe do Pajem… nossa estou com o frio na barriga que só: E se ele não entrar? E se ele parar no meio do caminho? E se ele voltar para trás? E se o sapato que eu comprei não servir mais no dia do casamento? Coloco o sapato para usar e “amaciar” e corro o risco de sujar ou não uso e corro o risco de machucar ele no dia?

 

Os 3 lados da moeda

Enfim, posso garantir que como organizadora de eventos nunca havia pensado em metade dessas perguntas, e como noiva também não! Hoje, tendo os 3 pontos de vista, acredito que posso falar com propriedade algumas questões importantes sobre pajens e daminhas… então, vamos às dicas para as noivas que estão pensando em encher de fofura a cerimônia de casamento!

Primeira coisa que você deve se perguntar é: estou disposta a arriscar dar alguma coisa errado nesse momento?

Se sua resposta for não, procure crianças com mais de 06 anos e que tenham intimidade com um dos noivos para fazer parte desse momento, assim dá para garantir o controle da situação!

Caso sua resposta seja sim, vamos pontuar algumas questões para que o risco seja o menor possível:

  1. Quanto mais íntima a criança for de um dos dois, mais motivação para chegar até o altar ela terá.
  2. Se forem crianças muito pequenas, vale ponderar a possibilidade dela entrar antes da noiva e não depois. Pq esperar até o momento da troca das alianças, “sozinha”, fora da cerimônia, pode ser algo cansativo e que aborreça a criança.
  3. Ter uma lembrancinha após a “tarefa” cumprida é sempre um bom incentivo,
  4. deixar os bancos da frente (mais próximos ao altar) reservado para mães ou avós dos pequenos pode ajudar a eles andarem boa parte do caminho,
  5. Peça aos pais para levarem os pequenos ao banheiro e não dar muito água logo antes da cerimônia

Pajens e Daminhas

“Regras de Conduta”

É sempre importante deixar claro para todos qual é a sua vontade caso algo dê errado! Por exemplo, se a criança parar e não quiser entrar, você prefere que um adulto a conduza até o altar, ou até o meio do caminho, ou deixa sem a entrada?

Tem algumas noivas que podem preferir de um jeito e outras de outro, não tem como a sua assessora ou seus amigos saberem o que fazer nesse momento se você não os orientou antes!

É muito comum também mães de daminhas e pajens serem madrinhas, e se eles travam no meio as mães saem do altar e vão pegar os filhos, essa é uma boa opção para você?

Pense nas possibilidades e deixe tudo bem claro para todos, principalmente para os pais e para a equipe que está organizando seu evento!

 

Em caso de emergência

Se você faz questão de crianças, mas não confia que suas alianças chegarão até o altar, temos 2 opções:

  • a primeira, é deixar as alianças reais no bolso do noivo e colocar na almofadinha alianças simbólicas,
  • a segunda é optar por floristas (são as crianças que vem antes da noiva, como um “abre alas”).

Pajens e Daminhas

Elas podem vir jogando pétalas (nesse caso vale a pena ter uma fila indiana de meninas para cumprir essa função, o efeito fica uma graça)

Podem vir distribuindo flores para os convidados (nesse caso 1 criança já cumpre bem o papel mas 2 fica perfeito, assim cada uma distribui flores para um lado do corredor).

Em versões mais recentes também incluíram os meninos no papel de abre alas, vieram as plaquinhas e os balões.

 

Tem criança que ainda nem anda e já esta enchendo de amores os convidados da cerimônia, confira as opções para os mais novinhos:

Carrinhos antigos

 

Carrinhos de puxar

Até carrinho eletrônico

 

Os carrinhos ainda podem ser enfeitados com plaquinhas de pajem/daminha em treinamento, já viram?

 

 

 

Para as roupinhas também existem idéias bem originais:

 

Bailarinas

Daminhas/floristas podem ser bailarinas por exemplo

 

Segurança do anel

Já o Pajem pode se transformar em segurança profissional

Ou quase…

 

 

Vintage de luxo

O Boho Chic veio para ficar, e as crianças ficam ainda mais fofas com esse estilo

 

Tule

E também não poderia deixar de fora esse clássico encantador.

 

Enfim… quando se trata de crianças em casamento existe uma referência mais linda que a outra, difícil escolher quais colocar aqui… vontade de não parar mais de por foto!

Se a gente for procurar por aí, tem uma referência mais linda que a outra, aqui eu queria era mesmo dar algumas dicas, prós e contras e alguns pontos importantes que devem ser pensados quando se trata desse momento, afinal criança é sempre uma caixinha de surpresas, só uma coisa é certa quando se trata de criança: estoque de fofurisse sem fim!

 

Por:
Priscila Vicente
Produtora e organizadora de eventos.

 

Como a Pri disse, é tanta fofurisse que se deixasse, a gente não parava mais de inserir fotos, mas vamos adicionar muitas inspirações no nosso Pinterest também! Assim vocês terão ainda mais opções para se inspirar, e a gente mata a vontade de compartilhar o monte de fofurisse que encontramos!

Um beijo,
Catita

Leia mais...
Casare - Seu Site de Casamento mais Elegante!

Convite de pajens e daminhas

Desejar os pequenos no seu casamento é uma decisão importante e que requer cuidados: além de ter que garantir um espaço kids, para que eles não se entediem durante a celebração, é preciso fazê-los entender a importância do momento e ensiná-los a respeitar todos os ritos que serão passados. Para que isso aconteça, o melhor que você tem a fazer é mostra-los que a presença deles é imprescindível.

Crianças gostam de chamar a atenção e não se sentem confortáveis diante do estresse de um casamento. Tirá-los do conforto do lar, colocar uma roupa desconfortável, inseri-lo em um ambiente com muita gente e muito barulho pode ser o estopim para crises de choro ou cara fechada o dia todo. Por isso, apesar do dia ser dos noivos, tente fazer com que eles se sintam tão especiais quanto você.

Uma alternativa bem legal é criar um convite bem diferente para os pajens e daminhas, com doces e quitutes que agradem eles e que os façam perceber que o seu convite é diferente. Brinquedos também são sempre bem-vindos e com certeza vão arrancar sorrisos de orelha à orelha! Dedicatórias especiais, também fazem a alegria da garotada!

Outra saída bem legal é transformar as daminhas nas fadas das pétalas, responsáveis por encher o tapete de amor, e os pajens em seguranças das alianças, com a missão de protegê-las a qualquer custa de algum perigo iminente! De qualquer forma, o objetivo é fazer as crianças se divertirem e sorrirem tanto quanto você!

Confira as nossas sugestões para convites incríveis!

11934755_1624419057819585_1205602942_n

14334631545570e972c3e78_big IMG_3741 convite-livro-de-colorir Apresentação103 12 OgAAAAIgkcjgUgMjxQrUPAmwvZpEMu7kxIbSn397wP8ApDR-CPjxlyglhtOhDJhj7mwR1Ma1-vZWaEIlMmtx3ymXyKAAm1T1UEL6Rwx9Qa1FDHtl7sd8ZpTXPhxkcaixa-convite-daminhas-de-casamento-caixa

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Leia mais...

Pajens e daminhas: conforto, sofisticação e muita fofura!

Tem algo mais fofo do que, durante aquela apreensão minutos antes do casal se encontrar no altar, ver os pajens e daminhas, andando timidamente pelo corredor levando o par de alianças ou distribuindo pétalas no caminho? É um momento em que os convidados deixam escapar suspiros e, às vezes, dão muita risada com a trapalhada dos pequenos.

Porém, ter crianças em um casamento nem sempre é uma tarefa simples. Não basta somente colocar a roupa nas crianças e rezar para que dê tudo certo, é preciso incentivá-las e apoiá-las para que não se estressem e não fiquem assustados durante a celebração, afinal manter a criançada quietinha durante uma hora ou mais é difícil.

Confira o nosso passo a passo de como lidar quando as crianças são convidadas para participar da celebração.

1 – Veja se os noivos fizeram exigências no vestuário

Nem sempre a roupa do pajem deve ser igual a roupa do noivo por isso fique atento o casal denominou algum tipo de vestimenta para os meninos. O ideal é colocar um terno elegante ou, em dias de calor, optar por uma camisa branca fina, gravata borboleta e até suspensórios.

No caso das meninas, o vestido branco ou de cores pastéis fica lindo! Opte por sapatilhas decoradas com laços, pérolas ou strass.

shorts-and-apple-for-ring-bearer

2- Cuidado na escolha do tecido

Não esqueça que a pele das crianças tende a ter muito mais irritação ou alergia do que a pele do adulto, por isso preocupe-se em conferir se o tecido escolhido está raspando ou coçando. Opte por peças de algodão para os meninos e prefira vestido de seda para as meninas.

Para garantir que os pequenos ficarão confortáveis durante e depois da cerimônia, coloque um forro em tudo que forem usar.

pajem1
3- Mudanças de humor

Se a gente fica estressado e mal-humorado quando existe alguma coisa incomodando, imagine eles? Não adianta colocar aquele vestido lindo, cheio de tule, que pinica as pernas das meninas ou colocar uma gravata borboleta apertada nos meninos e esperar que eles se comportem por “só meia horinha”. As crianças não se sentem obrigadas a aturar esse tipo de incômodo e provavelmente irão atirar esses itens longe quando você não estiver olhando ou pior: durante o casamento.

Daminha03

4- Pessoas de confiança

No casamento em que as crianças fazem parte da família fica mais fácil administrar a situação, afinal se as crianças se perderem sempre terá um tio ou um primo por perto para poder socorre-la e colocá-la no caminho novamente, mas a situação fica bem diferente quando a celebração é de amigos ou parentes distantes.

Nesse caso, peça para os noivos para ficarem próximos ao altar para garantir que os pequenos percorram o caminho inteiro ou peça para que um primo ou irmão mais velho (mas ainda sim criança) acompanhe o pajem até o altar.

331923470_big

5- Fique atento aos horários

Crianças normalmente têm horários para comer e dormir, por isso fique atento. Para um casamento a noite, certifique-se de que seu filho tirou uma soneca e não esteja sonolento e coçando os olhinhos para entrar. Também pergunte para os noivos se haverá alguma mesa de frutas ou pequenos petiscos disposta para poder oferecer às crianças à vontade.

vestido-de-daminha-6

 

Leia mais...

Pajem e Daminha – Minha experiência

Oi Casamenteiras, tudo jóia?

Nos últimos trinta dias, eu e o marido fomos padrinhos de dois casamentos super especiais, e a Nina e o João foram convidados pelos dois casais para serem pajem e daminha.

Quando eu me casei, eu não fazia questão de ter a participação de crianças, mas a filhota de um casal de amigos se ofereceu para a posição de uma forma fofa e irrecusável e eu acabei tendo uma daminha linda e querida que fez parte do meu grande dia.

pajem e daminha

Eu me lembro que como noiva eu não tinha a preocupação dela não entrar na hora, com crianças podemos esperar tudo né? Mas como mãe do pajem e da daminha, eu fiquei apavorada com a ideia de eles travarem, não entrarem e estragar o grande dia de amigos tão queridos.

O primeiro casamento foi em São Paulo, em uma igreja enooooorme, com um caminho super comprido até o altar, daqueles que intimida até adultos, imaginem crianças. Eu fiz mil planos de levar as crianças na igreja antes para eles conhecerem e se ambientarem, mas não rolou. O que eu fiz para preparar eles foi colocar várias vezes a roupa que eles iriam usar em casa e treinar eles para andar devagar e um do lado do outro. Falamos muito do casamento, dos tios que iam casar, que eles estariam vestidos de príncipe e princesa, enfim, fizemos o que estava ao nosso alcance.

Eles estão com dois anos e dois meses, já entendem tudo, conversam, argumentam, mas ainda não sabem controlar seus sentimentos, e não conseguem seguir comandos com tanta facilidade.

No dia do casamento chegamos bem cedo na igreja, mostramos tudo para eles, deixamos eles explorarem tudo, caminhamos várias vezes até o altar. Eles ficaram com os meus pais enquanto eu e o marido entramos e subimos no altar. O ponto fraco da Nina é o meu pai, é um amor maluco que eles têm, ela não larga ele nem por um bolo de chocolate, e na hora de entrar, o João deu a mão para uma outra daminha mais velha e foi andando bem tranquilo, já a Nina estava entrando também, mas de mãos dadas com o vovô e quando ele soltou e disse para ela ir sozinha, ela não topou. Não entrou de jeito nenhum! Aprendemos o truque! O vovô tem que ficar no altar chamando ela.

Eu já contei para vocês que eu sou bem rígida com horários, desde quando eles eram bebezinhos temos uma rotina bem estabelecida, mas nessas ocasiões temos que relaxar e curtir, os pequenos após a cerimônia foram para a festa, dançaram, correram atrás das luzes no chão, comeram vários doces e foram embora quase meia noite! Uma loucura para a vida regrada deles, a festa era bem pertinho da minha casa, então quando o cansaço venceu os pequenos os vovôs levaram eles para o sono merecido.

O segundo casamento foi em uma fazenda em Itú, interior de São Paulo, fizemos a mesma preparação experimentando as roupas várias vezes, conversando sobre o casamento, contando que iria acontecer, tudo bonitinho. O horário ajudou bastante no bom humor dos pequenos, a cerimônia foi às 16h, logo após a soneca deles, ou seja, muito bom humor! Rsrsrs

pajem e damina

Eles estavam muito tranquilos, curtiram bastante a fazenda, galinhas, árvores, passarinhos, estavam super à vontade. O caminho até o altar era bem curto, eles conseguiam ver a mamãe e o papai com facilidade enquanto entravam. Também contamos com a ajuda dos meus pais (santos vovôs!) e eles tiveram apenas que ajudar eles a descer uma escada e pronto! Eles entraram lindos e soltinhos! Ficaram com a gente quietinhos durante a cerimônia e curtiram muito a festa!

Por ser mais cedo, nesse casamento quase conseguimos manter a rotina deles intacta. Eles almoçaram, tiraram a soneca e foram para a fazenda, jantaram no mesmo horário de sempre, (claro que comeram mal, com música e uma festa rolando quem quer comer?) dançaram, correram, brincaram até não aguentar mais, e por volta das 21h (hora de dormir em casa também) eu fui para uma sala reservada com eles, coloquei a fralda de dormir, pijama, mamadeira e foram para o carro, dormiram antes de sair da fazenda, estavam acabados e foram para a casa da vovó. Sucesso!

Minha conclusão é que tudo pode acontecer! Crianças são imprevisíveis, eu já vi bebês de um ano entrando como pajem ou daminha tranquilamente e crianças bem mas velhas dando um chilique daqueles! O que nos resta é treinar e torcer para dar tudo certo, e se não der, estar lá para dar um colinho e sem sentir culpa por nada, afinal, crianças são livres e é isso que tanto admiramos nelas, não é?

Beijos,

Kaká

Leia mais...
Facebook Twitter Instagram Pinterest RSS Facebook Twitter Instagram Pinterest RSS