Oi Casamenteiras, tudo bem?

Outro dia uma moça aqui do meu prédio veio me contar que ela estava fazendo as unhas e conversando com uma moça que também estava fazendo as unhas sobre filhos, criação, esses assuntos que toda mãe do mundo conversa quando se encontra.

Ela estava contando de uma certa mãe de gêmeos (eu!), que é muito tranqüila, que deixa os filhos se sujarem, brincarem com tinta, água, terra, caírem e aprenderem a levantar, e que ela gostava de ver isso, pois com filhote dela, que já tem seus sete anos, não foi assim. Ela era muito preocupada, não deixava ele fazer muita coisa, e hoje talvez ela fizesse diferente. Dollarphotoclub_42169986 Aquela mãe do menino(a) descalço sou eu!

O engraçado, é que a moça que estava ouvindo a história perguntou: Por acaso é da Nina e do João que você está falando?

Não sei até hoje quem é a tal moça, mas sei que pelo jeito sou conhecida por aí por ser essa mãe que deixa os filhos descalços, brincando com água e se sujando… E posso falar? Eu adoro isso!

Não é o meu estilo ser uma mãe neurótica, nunca me imaginei assim, mas a gente nunca sabe como vai ser até estar com o nosso pacotinho nos braços, não é? Tenho amigas super tranquilas que são mães super neuróticas, e outras que sempre foram certinhas e que curtem deixar as crianças mais soltas. 

A Nina e o João nasceram “a termo” com quase 37 semanas de gestação e os dois com mais de 2,200 kg. Graças a Deus não ficaram nem um dia a mais internados, mas eram muito pequenos. Nos primeiros três meses eu fui a mais neurótica das mães! Não recebi visitas, apenas os avós e aqueles amigos que você pode ficar de pijama sem problemas, sabe? E mesmo assim, todo mundo tinha que tirar os sapatos, lavar bem as mãos, braços e rosto, passar álcool gel em tudo, e ainda sim cobrir o colo com um pano. Ufa! Mas eu não me arrependo não, era como eu me sentia segura, e segurança é o que uma recém mamãe mais precisa.

Com três meses o pediatra me liberou de esterilizar as mamadeiras, e isso foi a minha carta de alforria. A neurose acabou instantaneamente, comecei a sair com eles, passar de colo em colo, acostumar com todos os amigos, e hoje posso dizer que eu gosto muito do resultado.

Eu tinha um tapetão que dobrava e eu levava ele para tudo quanto é lugar, eles sempre curtiram muito! Quando começaram a engatinhar, eu levava eles na quadra do meu prédio, e eles voltavam pretos de sujeira do chão! Tinha que deixar eles de molho antes do banho e passar palitinho em baixo das unhas sabem?

Dollarphotoclub_76056069 Aquela mãe do menino(a) descalço sou eu!

Sempre deixei eles explorarem o mundo ao máximo, e não me arrependo não. A verdade, é que eu nunca tive tempo para ser neurótica, ter dois ou mais bebês ao mesmo tempo te ensina isso na marra. Eu nunca aqueci mamadeira por exemplo, tenho amigas que tiveram apenas um bebê que acham isso inconcebível! Eu tive que me tornar uma mãe pratica por uma questão de sobrevivência. Se vocês verem a minha malinha de passeio com eles vocês não vão acreditar, sempre levei muito pouca coisa, e nunca faltou nada! Para não mentir para vocês, outro dia a Nina vomitou chegando numa festinha de aniversário e eu não tinha levado uma roupa extra, rapidinho uma mãe amiga me emprestou uma roupinha e pronto!

Sempre respeitamos os limites deles, horários e rotina, mas sempre que possível tentamos inserir eles nos nossos programas e hoje temos crianças saudáveis, que adoram os nossos amigos, ficam super bem com todos.

Eu realmente gosto de ser essa mãe mais tranquila, relax, sem neuras, nada contra as mamães mais “cuidadosas”, acho que cada mãe vive a maternidade da forma que acha melhor, é sempre assim. Nenhuma mãe faz nada que não tenha certeza ser o melhor para o seu pequeno, mas de verdade, eu sou muito a favor de viver esse momento de forma mais leve.

Beijos e boa semana!

Kaká