Resolvi deixar preparado um post com algumas dicas sobre a alimentação dos nossos cãezinhos – um assunto bem importante, né – enquanto aproveito as férias, e logo, logo volto pra dividir com vocês todas as novidades e a experiência de trazer a Belinha em uma viagem tão longa e para fora do Brasil!

Bem, pra começar o assunto, a maioria dos veterinários recomendam a ração seca, por ser mais completa e já adequada as necessidades de cada animal, o que não exclui a possibilidade de você alimentar seu pet com comida caseira, mas se essa for sua opção, fique atento ao que o seu cão pode ou não comer!

O ideal é sempre buscar orientação junto à um veterinário de sua confiança e se escolher a comida caseira, peça uma dieta adequada a idade e características do seu bichinho de estimação! De igual forma acontecerá se você optar por ração seca, no sentido de ficar atenta as indicações de idade, raça e nível de desenvolvimento!

dog-food Cães - Pequenas dicas sobre alimentação

Alguns pontos importantes na alimentação do seu cãozinho:

  • Água: deve ser de boa qualidade, se não é boa para nosso consumo, não será boa para nosso cão; deve estar sempre limpa e fresca (para evitar proliferação de algas, larvas de mosquitos);
  • Recipientes (tanto o da ração quanto o da água) devem ser limpos com frequência usando um detergente neutro, para não acumular sujeira nem fungos;
  • Utilize recipientes próprios para alimentação de cães, pois eles possuem o fundo liso e arredondado, justamente para acumular menos sujeira;
  • A média de água necessária para um cão é de 60ml/kg, mas pode variar conforme a temperatura e tipo de alimento ingerido;
  • O ideal é criar uma rotina com a mesma alimentação nos mesmos horários todo dia, cães se sentem bem com uma rotina estabelecida, já sabem os horários que receberão alimento e isso pode evitar neles a ansiedade e a obesidade;
  • Ter um horário também evita que o alimento (mesmo a ração seca) fique exposto atraindo outros animais e insetos, pois eles podem transmitir doenças como leptospirose e raiva;
  • Quando chegar o momento de mudar a alimentação, sejam por estar crescendo, por não aceitação ou algum problema de saúde, faça gradualmente. Uma forma interessante e que funciona na maioria das vezes é misturar a ração antiga com a nova e ir substituindo até que ele já aceite totalmente só a nova ração;
  • Variar a alimentação – em um momento ração, em outro, comida – ou oferecer petiscos, presunto ou pedaços de carne atrapalha o paladar do seu pet, traz desequilíbrio a sua alimentação e causa sérios problemas de saúde;
  • Alimentos que são bons para nós podem não ser tão bons para os cães, por isso não é recomendado deixar o cão beliscar petiscos e nem comer o mesmo que é servido em nossas refeições, como: temperos, sal em excesso, cereais crus, ossos cozidos (ossos crus podem ser dados) ou qualquer carne que contenha pequenos ossinhos que possam causar danos internos ao animal;

Uma alimentação errada ou mal orientada pode causar desde mal formação dos ossos até queda de pelos. A forma mais prática de controlar a dieta do seu pet é através das rações prontas mesmo, ali já tem todos os ingredientes que o seu animalzinho precisa para se desenvolver, além disso, elas são divididas por raça e idade.

Outra dica legal pra fazer é: pegar a porção diária recomendada e dividir em porções menores para mais vezes ao dia, principalmente enquanto seu pet é filhote, nesse caso ele pode comer até 5 vezes ao dia.

Raças com predisposição a torção gástrica (Dogue Alemão, principalmente) devem ter o cuidado com a alimentação redobrado.

Essas são apenas algumas dicas, não deixem de consultar um veterinário sempre que surgirem dúvidas, é a melhor recomendação para garantir a saúde dos nossos amados bichinhos!

 

Via: Seu Cachorro

Foto: Dogs Health