É chegado o grande momento: vocês vão se casar. E quem está planejando oficializar a união sabe bem que além de todos os detalhes da festa o casal deve estar atento a um processo burocrático importante: a união civil.

Se engana quem pensa que o casamento civil precisa ser um processo estressante. Basta apenas ter planejamento e saber quais são todos os documentos necessários para

Primeiro passo: entendendo o regime de bens

Socialmente falando o casamento é uma união de vida e isso também inclui os bens do casal. Existem três tipos mais comuns, sendo:

Comunhão parcial de bens: nessa modalidade todos os bens conquistados após a data da união são considerados do casal. Aqueles registrados antes da união seguem como propriedades individuais.

Comunhão universal de bens: ao contrário da versão anterior, todos os bens – mesmo aqueles adquiridos antes do casamento – são considerados do casal após a união.

Separação total de bens: no regime de separação de bens as propriedades atuais dos noivos e as que serão adquiridas futuramente serão individuais.

Atenção aos documentos

Após o casal discutir o regime que mais convém a realidade deles é hora de separar os documentos para formalizar a união. Caso o casal seja solteiro (não ter formalizado união anteriormente) é necessário RG, CPF, certidão de nascimento e um comprovante de residência atualizado.

Para quem for divorciado, além do RG, CPF e comprovante de residência é fundamental a certidão de registro de divórcio.

Viúvos ou viúvas precisam dos documentos básicos, além da certidão do primeiro casamento e a certidão de óbito do cônjuge falecido.

Você já ouviu falar nas testemunhas?

Desde crianças escutamos que é necessário ter testemunhas para o casamento. Mas, afinal, qual é a função delas? Bom, você irá precisar de duas testemunhas (uma para o noivo e outra para noiva) em duas ocasiões: no momento de agendar o casamento e no dia da formalização, propriamente dita. Os que comparecem no dia da cerimônia são popularmente conhecidos com padrinhos de casamento.

Basicamente nas duas situações a função será atestar que os noivos são aptos para casar e que não há impeditivos.

As testemunhas podem ser diferentes para cada ocasião, porém, precisam ser alfabetizadas e ter mais de 18 anos. Uma curiosidade: não pode ser nem pai ou mãe do casal.

Colocando a mão no bolso

O valor para casar varia em casa estado brasileiro. Em São Paulo, por exemplo, estima-se o gasto a partir de R$ 400,00, mais R$ 80,00 para publicação de edital oficial.

Já no Rio de Janeiro o processo de habilitação para o casamento custa a partir de R$ 175,00 e edital em R$ 45,96.

Após quanto tempo estaremos casados?

Como qualquer pedido legal o casamento tem um prazo para que seja processado e válido. Recomenda-se a entrada no pedido do cartório dois meses de antecedência.

O cartório deverá retornar se o casal está apto a união em no máximo 30 dias. Após a aprovação o casal tem 90 dias corridos para realizar a união civil.