Estamos super felizes com uma ótima novidade!! Agora o Casamenteiras conta com uma nova parceria! A Lua de Mel sob Medida, que trará dicas e roteiros incríveis tanto para as noivinhas que estão planejando sua lua de mel, como para as casadinhas ou namoradas que querem fazer uma  linda e inesquecível viagem a dois! Não é o máximo?! Teremos roteiros românticos fabulosos, feitos especialmente pra vocês!

O portal já publicou alguns roteiros de viagem elaborados pela Patrícia Calis, mas agora a coluna virou oficial e está estreiando com a cidade mais romântica do mundo: PARIS!! Foi lá que comecei minha Lua de Mel com meu marido e recomendo mesmo, gente! Seja qual for a estação, Paris sempre será a romântica e incomparável Cidade Luz!

Tudo em Paris remete à romance. A luz dourada, os charmosos boulevards, os pequenos restaurantes, os vinhos excepcionais e, sim, a presença imponente da Torre Eiffel, fazem parte de um cenário de pura sedução.

É o abrigo perfeito dos casais apaixonados.

Vários amantes se tornaram referência na literatura, na música, nos filmes, tendo como pano de fundo sua beleza requintada. Impossível não lembrar da frase mais clássica do cinema, trocada entre Humphrey Bogart e Ingrid Bergman, em Casablanca: “Nós sempre teremos Paris.”

Assim é Paris, uma cidade irresistível e que pode ser apreciada de diversos ângulos. Mas aqui, o roteiro é para viver uma história de amor.

Capital internacional do glamour, Paris exerce um fascínio sobre o resto do mundo. O simples fato de estar em seu território confere um toque de requinte a tudo que se experimenta: observar a cidade deslizando de barco pelas águas do Sena; entrar no espírito boêmio dos cafés do Quartier Latin; apreciar as luminárias douradas Ponte Alexandre III; não importa o exemplo, remete a requinte. A dois, então, fica ainda mais interessante.

Reduto da efervecência cultural européia, a cidade oferece uma agenda variada de programações artísticas e de entretenimentos, que vai muito além de cruzar a Pirâmide de Vidro e apreciar o interior do Louvre,  abrigo de algumas das obras mais importantes da história da arte, como a Vitória de Samotrácia e a Mona Lisa. Lugares da moda convivem em harmonia com endereços tradicionais, o que só faz aumentar o interesse em explorá-la.

{Musée d’Órsay}

Depois de passar, por exemplo, uma tarde no Musée de La Vie Romantique um nome muito próprio para a ocasião onde sempre acontecem exposições importantes, visitar galerias de arte contemporânea ou testemunhar um concerto de música erudita em alguma das igrejas da cidade, nada melhor do que terminar o dia com seu par em um dos endereços branché (na moda) da noite parisiense, como o tradicional

Café des Deux Magots (foto abaixo) ou os descolados Budha Bar ( O mesmo bar que tem filial em SãoPaulo na Daslu) e o Café Marly. Aliás, branché é o termo da temporada. É branché freqüentar casas noturnas como theá,Wagg e Le Queen e repor as energias  em alguns restaurantes de design arrojado como o L’Avenue (Foto acima), o L’Esplanade, o Rival e o Murat, entre outros lugares modernos com pique cosmopolita.

{Café Les Deaux Magots, na Saint-Germain-des-Prés}

Aliás, um dos maiores apelos de uma temporada parisiense é usufruir de sua celebre gastronomia.

A Rue Marbeuf, por exemplo, é um endereço valorizado pelos restaurantes Nobu, de Robert de Niro e Man Ray, de Johnny Depp.

Já o célebre restaurante Tour d’Argent, prepara um dos canard mais requisitados do planeta e arroga-se em numerá-los, como se faz com obras de arte de tiragem limitada – lembrando que número 1 foi servido, em 1890, a Eduardo VII, príncipe de Gales. Para pinçar iguarias, a direção é a Place de la Madeleine, onde ficam, frente a frente, duas das mais variadas e bem fornidas mercearias do mundo: a Hediard e a Fauchon.

{Café de La Paix bem pertinho da Ópera}

Mas nada se compara em história e charme aos sofisticados restaurantes do hotel Plaza Athenée que, segundo a Leading Hotels of the World, é o preferido pela elite brasileira. O mais antigo é o Relais du Plaza, um salão art déco freqüentado, ao longo do tempo, por mitos como Rodolfo Valentino, Josephine Baker e Ingrid Bergman. Consta da biografia de Marlene Dietrich, que ela chegou a morar no hotel por conta dos ovos à Benedictine do Relais. O outro templo da gastronomia do Plaza é o ADAP, o três-estrelas de Alain Ducasse. Uma experiência obrigatória no currículo de qualquer casal chique em lua-de-mel.

E, falando em hotel, não faltam indicações dentro desse clima nupcial. O novo hotel Pershing Hall, projetado por Andrée Putman, é uma das jóias do design contemporâneo e um exemplo de luxo branché. Um interessante contraste com George V, um prédio da década de 20 que ganhou novo conceito e infra-estrutura após uma remodelagem, e voltou a brilhar como um palácio da rede Four Seasons, sem perder a atmosfera clássica e elegante. Irrésistible a suíte Lua-de-Mel, que possui duas varandas com deslumbrante vista para a Torre Eiffel, Pantheon e Invalides.

Seguindo sua vocação para o luxo, Paris oferece , ainda, o Hotel Ritz, na Place Vendôme, abastecido por vinte joalherias, ostentando as vitrines valores equivalentes ao PIB de alguns países do mundo. Perto dali, erguem-se outros tops da cidade, como exuberante Meurice, cuja suíte Belle Étoile dispõe da mais bela sala de banho da cidade, e o Crillon de frente para a Place de la Concorde.

E na vanguarda em termos de turismo, muitos casais modernos estão optando por hospedagem em lofts,especialmente às margens do Canal St.Martin, onde a oferta é maior e abastecido com lojinhas encantadores. O que não é raro na cidade, convenhamos.

Paris tem estilo próprio, e o divide com o resto do mundo fazendo da capital francesa uma vitrine em permanente renovação. O “Triângulo Dourado”, como é conhecida a região entre as avenidas Champs Elysées, Montaigne e George V, concentra, hoje, as principais grifes de Paris, que dispensam maiores  apresentações.

No entanto, vale também garimpar novas traduções da moda. Poupie é um exemplo emblemático do nouveau em Paris. Seu nome não tem a transcendência internacional de grifes como Dior, Jean Paul Gaultier ou Chanel; mas sua marca, deliciosamente supérflua, é a cara da cidade. Ou buscar excentricidades tipicamente parisienses, como as lojas de Didier Ludot, no Palais Royal e na Printemps, que oferece peças de alta-costura de segunda mão.

E como lua-de-mel tem tudo a ver com sedução, entra em cena a grife de Poupie Cadolle sucessora direta de uma dinastia de mulheres especializadas em seduzir através da alta-costura em lingerie. Foi sua tataravó quem inventou, em 1894, o soutien. Hoje, sabe-se que entre suas cliaentes notórias estão estrelas como Catherine Zeta-Jones, Juliette Binoche, Isabelle Adjani e Madonna.

Diante de tantas atrações, a melhor maneira de conhecer Paris é seguir o exemplo dos parisienses: andar a pé. Uma tarefa prazerosa, considerando que a cidade além de plana é ornamentada com cerca de seiscentas mil árvores; quatrocentos parques, dois bosques e inúmeros jardins em praticamente toda a sua extensão. Puro romantismo. Mas se o casal preferir, pode optar pela eficiência do metro, que oferece uma estação a cada 300 metros.

Bon voyage!! 🙂

♥♥♥

Roteiro: Lua de Mel Sob Medida

Fotos: Lua de Mel sob Medida e Luiz P. Monteiro