Olá casamenteiras, tudo incrível?

Hoje eu li o desabafo de uma babá que ama o seu trabalho e suas crianças, mas tem sérios problemas com as avós. Que situação!

Eu não tenho sogra, a minha se foi super nova, quando meu marido ainda era novinho. Mas a minha mãe é super presente na vida das crianças, e vira e mexe faz aquelas coisas que toda avó faz, sabem?

Engraçado que quando eu me casei, ela tinha tanto medo de ser uma sogra chata, que eu e meu marido tínhamos que literalmente implorar uma opinião dela. Ela não queria se meter em absolutamente nada, mas quando as crianças nasceram, aí são os netos dela né? Tudo mudou.

Ela ainda consegue se manter bem tranquila, e o que eu falo é (quase) lei, mas ela argumenta, tenta me convencer da opinião dela, mas nada grave, e honestamente, acho que vou “estragar” os meus netos tanto quanto ou mais! Outra coisa que ela deixou bem claro para mim é que ela já educou dois filhos e fez o papel de chata, agora com os netos ela não quer educar não, quer só alegria! Tá certa ela!

Acontece que eu tenho amigas que já perderam babás ótimas por causa de suas mães ou sogras. As vezes por causa de um combinado das duas! A mãe das crianças dá uma ordem, ai chegam às avós e dão outras ordens, e a coitada da babá fica em uma situação super complicada.

Como ela vai desobedecer as avós? E pior, como ela vai conversar com você e “falar mal” da sua mãe ou sogra? Não é uma situação super difícil? Eu acho!

Para vocês terem uma ideia do tanto que as avós fazem diferença no dia a dia dos pequenos, fui visitar uma escola essa semana para conhecer (estamos nessa fase aqui!) e a diretora me disse que muitas vezes a criança muda da água para o vinho, fica irritada, agressiva e suuuuper mimada. A primeira coisa que a escola faz é ligar e perguntar se tem alguma vovó em casa, acreditam? Os mimos e alterações na rotina deixam os pequenos confusos e como eles não tem maturidade ainda para lidar com isso, eles mudam totalmente o comportamento.

Nós aqui em casa temos a “adaptação pós feriado”. Passamos quase todos os feriados no condomínio que a minha mãe mora no interior de São Paulo, e a volta para casa e rotina são sempre uma loucura! Não querem comer o que tem, não querem dormir na hora certa, ufa!

Manha pós feriado

O conflito mãe/sogra/babá acontece muito com as mamães que trabalham fora, e não estão por perto no dia a dia para ver o que acontece.

Pensei bastante sobre isso e seguem as minhas observações.

– Se você contratou essa babá para cuidar da sua jóia mais preciosa é porque você confia nela, certo? Deixe isso bem claro para ela, não só com os cuidados das crianças, mas em relação a palavra e opiniões dela. É importante que essa profissional se sinta segura e protegida por você.

– Sem deixar que vire uma coisa debochada, mostre para ela que você sabe que as avós são duronas, e que ela pode falar com você caso se sinta incomodada.

– Converse também com a babá sobre as regras da casa, e deixe bem claro que são estabelecidas por você, qualquer mudança deve ser consultada. Peça que ela te ligue nesses casos.

meditação

– Em um papo super reto, exponha a forma como a sua casa funciona para sua mãe e sogra. Elas também são mulheres que tiveram filhos e sogras, e também devem ter sofrido com algo parecido. Diga que na casa delas pode (quase) tudo, mas na sua tem regras e rotinas a serem cumpridas. Elas vão entender, pode ser que você precise reforçar esse ponto algumas vezes, mas no fundo, no fundo, elas vão entender.

– E por fim, tente ficar calma e tranquila. Assim fica mais difícil de você perder o controle e de repente uma profissional maravilhosa que tanto te ajuda, não é mesmo?

Um beijão,

Kaká