Oi pessoal, tudo bem?

Quando me mudei para este apartamento que moro hoje, meu objetivo principal era proporcionar para as crianças um espaço grande, seguro, com atividades e muitas crianças para eles conhecerem e conviverem. Acertei em cheio, aliás, contei para vocês nesse post aqui os critérios que usei e recomendo para escolher uma casa com crianças, vale a pena conferir! 😉

Aqui tem crianças de todas as idades e tem duas famílias super queridas com crianças exatamente da mesma idade da Nina e do João. Criamos todos o hábito de passar o dia no térreo com as crianças, brincando, fazendo pique nique, cantando, dançando e é claro, conversando, trocando experiências, dicas. Somos mães super animadas, sempre aparece alguém com alguma ideia de atividade para fazer, tinta, massinha, bolinha de sabão, tudo vira uma festa!

bagunça

Nós vimos nossos filhos crescerem juntos, engatinharem, andarem, falarem, eles brigam também, mas é um amor tão lindo! Na hora da despedida no final do dia, parece que nunca mais vão se ver, beijos e abraços, uma fofura só. Nos finais de semana sempre chamam um pelo outro, é uma amizade linda.

Me sinto uma sortuda por ter essas mães aqui, e por serem elas. Nunca, nunquinha houve um problema entre nós, nada. Não tem a fofoqueira, a chatinha, a neurótica, nada. Sabe quando bate certinho? Que convivência mais gostosa que nós temos, quanta coisa aprendemos com as experiências uma da outra, eu desejo isso para todas as mães do mundo! Fica tudo mais leve e gostoso.

Poder compartilhar as alegrias e fofuras e também as frustrações e o cansaço com pessoas que você sente que não estão te julgando não tem preço. Poder falar e falar e falar e também ouvir e ouvir e ouvir sem nenhuma pressão de todos os lados deveria ser um direito de toda mãe! Não tem nada que me deixe mais triste do que ver mães julgando mães, poxa, toda mãe sabe como é gente! A última coisa necessária é mais um julgamento e ainda por cima vindo de alguém que deveria entender o que você está passando.

Parece que eu mereci não sentir essa parte ruim de conviver no mundo da maternagem, e quem proporcionou e ainda proporciona isso são as minhas companheiras de dia a dia. Hoje, agora as 11h uma delas está voltando para a terrinha dela definitivamente. E eu não poderia deixar de agradecer por absolutamente todos os momentos que passamos juntas no prédio ou passeando pelo bairro. Todas as vezes que os nossos pequenos se divertiram juntos e aprenderam. E principalmente pela forma leve e tranquila que conseguimos conviver por todo esse tempo!

amigos

Ontem no final do dia eu dei um abraço apertado na Renata, que vai embora e passou um filme na minha cabeça, desde a primeira vez que nos encontramos e o que parece uma vida de convivência… que pena que a vida tomou outro rumo, vamos todos sentir muita saudades de acompanhar a Lelê e mais um pequenino que vem por aí.

Obrigada Rê e Gi! Espero que a vida continue proporcionando oportunidades para a gente ficar junto e principalmente manter a amizade linda e pura dos nossos pequenos!

E você que está aí em casa com seu pequeno, com preguiça de descer no seu prédio e conversar com os vizinhos, só digo uma coisa, você pode estar perdendo uma oportunidade incrível de ser ainda mais feliz!

Beijos,

Kaká