amor


Papai Noel, este ano, quero um amor de verdade

Mistletoe-1024x576

Bom velhinho,

Para falar bem a verdade, eu nem acredito muito em você…  mas tudo bem, eu também acostumava acreditar no amor, na vida a dois, e nas propagandas de margarinas com suas famílias perfeitas. Costumava também crer que antes de ter a idade que tenho eu já teria encontrado um amor de verdade.

Eu sei que não me comportei muito bem este ano, mas sabe, eu realmente me cansei de bancar a boazinha e ter que sempre ficar sozinha administrando crises no final das contas. Estou exausta de pagar sozinha a conta toda sem ao menos ter aproveitado o prato principal.

Sei que o senhor deve estar muito ocupado lendo as diversas cartinhas de crianças pedindo suas bicicletas cromadas e suas Barbies caras, mas eu realmente gostaria de superá-las e pedir algo surpreendente: Quero um amor de verdade.

Será que eu to grandinha demais para pedir isso? Eu sei, talvez seja uma missão difícil atender ao meu pedido, no entanto, me disseram que pode nos dar qualquer coisa que pedirmos, então não pensei duas vezes em recorrer ao senhor.

Sério, não é desespero. É que apenas cheguei em uma fase na vida que preciso de muito mais para me sentir completa e alegre com a vida. Em todos os lugares que vou tem sempre mãos dadas desfilando sua alegria e eu acho isso realmente muito bonito.

Não é inveja. É que a vida parece fazer mais sentido para essas pessoas do que para gente como eu. Eu queria uma companhia para assistir minha série nos finais de semana de neblina e chuvisco, ou até mesmo rir e fazer comentários das bobeiras que a TV aberta exibe aos domingos. Queria poder não ficar de pijama sozinha e ter com quem dividir um brigadeiro de colher.

E antes que me aconselhe a mudar de ideia, eu sei bem que relacionamentos não são tarefas fáceis. Já pensei bem sobre o que estou lhe pedindo. Estou ciente de que terei que abrir mão, ceder espaço, renunciar e dividir tudo.

Também quero ter o direito de receber  aquelas mensagens de texto com emotions, olhar o celular de cinco em cinco minutos para ver se ele disse algo novo e repentinamente receber um áudio no Whatsapp com ele me dizendo: “Amor, passei aqui na frente daquele local que tem sua torta predileta. Passo aí mais tarde para te dar um beijo. Sabe, te amo de verdade!”.

Eu posso estar sendo patética, mas ainda acredito que existam as pessoas carinhosas. Me dê um exemplar dessas pessoas raras. E mesmo quando tudo parecer automático, quando o “bom dia” e “boa noite” forem menos frequentes, e quando a ligação no final do dia for mais curta, e a nossa relação estiver sem muitas novidades, ainda assim, eu saberei que foi a melhor presente que poderia ter pedido.

Estou pedindo sua ajuda porque quero descobrir de novo o que traz a vida um significado. Já tentei fingir que não me importo com isso, mas agora, conto com esse seu presente para que eu possa aprender o que é ter alguém do lado e nunca mais querer desgrudar.  Quem sabe no ano que vem não podemos pedir algum juntos? Quebra essa para mim, se puder, tá?!
Obs: Manda um beijo para Mamãe Noel, e que você dois sejam felizes como eu também quero ser.

Leia mais...

Se a gente ama, não tem que esperar

Copy-of-quarta-Banner-wordpress-11

Nunca deixe o amor em uma fila de espera. Ele não sabe aguardar. É impaciente quando encontra um lugar para morar, é urgente quando se depara com um repouso, é inadiável quando descobre um canto sossegado no coração de alguém. Se você ama, não espere mais. Não aguarde ele esfriar, enriquecer, amadurecer e evoluir. Respeite sim o tempo, o momento, mas não deixe ele te confundir. Você sabe quando é chegada a hora de amar. Não tem outra alternativa para quem não consegue mais calar seu coração a não ser se render a ele.

Estamos sempre atrás de garantias tolas, preservações bobas, caprichos inúteis para investir em um amor. Temos nos acovardado diante das besteiras inventadas pela maioria sobre os relacionamentos, diante da baboseira produzida por um mundo egoísta e individualista ao extremo.

Não espere o verão chegar para contemplar as belas rosas. O inverno também sabe produzir suas belezas e encantar os olhos. Olhe para seus avós, seus pais, seus tios, e veja como eles não tinham medo de amar, mesmo quando as condições diziam que não era o momento perfeito para assumir um romance. Eles arriscavam, se aventuravam e avançavam sem medo do que iam encontrar pela frente, porque sabiam que estariam juntos em qualquer hipótese. É isso que faz toda diferença. É isso que perdemos. Precisamos resgatar essa vontade de ficar junto sem medir.

Queremos um amor inteiro, mas nos doamos pela metade. Estamos ficando covardes com esse amorzinho frouxo que insiste em fugir cada vez que as circunstâncias não favoreçam. Esquecemos do que é realmente amar e se entregar por completo. Fugimos das situações que nos pedem fidelidade, dedicação, carinho, renúncia, que tanto nos faz crescer como dois. Queremos continuar sendo crianças independentes umas das outras e que não  sabem empreender no amor, mas que querem ser para sempre bancadas por outros. Evitamos os perrengues de qualquer espécie sem saber que são eles que nos unem mais.

O amor só espera quando ele não é certeza, quando ele é uma divisão e não uma multiplicação, quando ele é arrogante e pouco despretensioso, quando ele é um fim momentâneo e não um começo durável, quando ele deseja ficar no porão do anonimato e não sair livremente ao sol do dia, quando é uma razão tirânica e não um sentimento sincero e livre. Se a gente ama, não tem muito que esperar, porque também não tem muito do que se arrepender. É isso que aprendi.

Leia mais...

Porque eu não acredito que amar é uma furada

Eu não acredito que amar seja um erro. Mesmo os amores passados podem contribuir para um amadurecimento. Não consigo mesmo pensar que alguém nasceu apenas para enfrentar o desamor. Talvez você não concorde porque já está completamente cansado de sempre quebrar a cara com pessoas que não valorizaram tanto o seu amor. No entanto, as cicatrizes são parte importante para nos fazer mais preparados para se relacionar. Gostaria de colocar aqui alguns pontos importantes para pensarmos melhor antes de afirmar novamente que não vale a pena amar.

Existe uma forte propaganda a favor de um amor que não expressa sua realidade completa. Nem toda verdade a respeito dele é exposta. É por isso que muita gente, depois de sofrer uma frustração, torna-se contra o amor.

Isso se agrava porque vivemos em tempos onde o amor tornou-se realmente um meio de apenas satisfazer carências e no outro dia ir embora sem mais explicações. Todos os anos, muitas pessoas entram em nossas vidas e logo em seguida se vão e nem conseguimos identificar o que aconteceu para que tudo desse errado repentinamente.

Eu sempre vejo pessoas machucadas propagandeando que o amor é uma virtude das pessoas que tem sorte em seus caminhos, mas isso não é verdade. A grande questão que precisamos passar é: Em que lugares, pessoas, ideias temos buscado esse amor que queremos viver?

Você já pensou em sair da sua zona de conforto? Conhecer pessoas que não são do seu círculo, mudar um pouco suas rotinas, seus preconceitos, puxar mais papo de elevadores, ser mais divertida, menos implicante, mais amorosa e menos amante, mudar, frequentar lugares que não está habituado, se inscrever em cursos e programas que jamais achou que faria, dar uma chance de ser amado para além das suas idealizações?

Creio que boa parte das pessoas se frustram com o amor porque querem viver em seus mundinhos idealizados com pessoas projetadas e comportamentos programados. É hora de expandir horizontes. Deixar de lado a vitimização e recomeçar a considerar as reais possibilidade sobre o amor.

Eu costumo dizer que conheci minha esposa no momento em que realmente resolvi deixar de lado quem eu sempre projetei ser. Nunca imaginei que deixando de lado todas aquelas idéias pré-formadas de relacionamento eu estaria abrindo em mim uma grande possibilidade de amar integralmente e me entregar de fato a algo que se tornaria a razão da minha vida.

O amor ainda é um bom motivo para existir. O amor não é uma cilada, o amor é uma vontade contínua de encarar cada dia de maneira compartilhada. Isso que nos dá gosto para viver. Se o amor é uma furada para você, nada melhor que uma boa dose dele para lhe mostrar que está completamente enganado.

Leia mais...

O amor vai bem, obrigado

Qual o futuro do amor? Obrigado por perguntar, mas o amor vai bem.

Se você ligar a televisão em qualquer canal vai ver uma enxurrada de motivos para dizer que o amor acabou por completo na humanidade. Os livros, jornais, os filósofos, professores e psicólogos chegaram a conclusão que a humanidade destruiu a sua própria saúde mental por completo. Tudo, por toda parte, aponta para uma crise no amor.

Entretanto, existe uma parcela de pessoas que ainda reconhece que o amor continua sendo um medicamento importante para o equilíbrio entre as más contingências do mundo e a esperança pela existência um pouco mais afetuoso.

Bem, se o amor adoece, fica claro que a sociedade se torna cada dia mais psicopata contra si mesmo. Dessa maneira, cresce uma preocupação recorrente com o futuro do amor para além dos nossos dias. Qual o futuro do amor? Indizível. Alguns crêem que, em algum momento, ele será igualado a um número quase nulo.

Um amor pode ser esquecido?

Eu não sei você, mas eu tenho bastante dificuldade em acreditar que um dia o amor será esquecido. Tudo bem. Até entendo que estamos passando por um momento mais frio e que as pessoas têm contribuído para o crescente desamor. Nesse sentido, os relacionamentos estão cada vez mais complicados, dificultosos e cheios de individualismos.

Apesar de tudo isso, no geral, o amor vai bem. Quando perguntarem por onde anda o amor, responda dizendo que provavelmente o amor deve estar exatamente em quem ousa realizar esta pergunta. Não tratasse apenas de uma visão otimista demais para ser verdade, apenas penso que o amor ainda pode ser notado, praticado e percebido em várias atitudes, pessoas e cantos desse mundo.

arvoré de amor

Talvez o problema do mundo seja justamente as pessoas que desacreditaram na vida e escolheram o caminho mais radical de desistir de vivenciar essa outra realidade mais amorável.

Possivelmente tenhamos atingido a incredulidade completo nos efeitos da afeição e da ternura porque a idéia de amor-perfeito nos distraiu para a realidade de que somos. Estamos atrás do “amor-perfeito” que idealizamos e como ele não é atingível,  muitas vezes partimos para o ceticismo quanto as realidades possíveis de amor. Os seres que desprezam o amor  é que envenenam este mundo com suas filosofias descrentes. São eles que nos forçam a abandonar o centro da percepção dessa realidade e nos forçam a deixar o dom de reagir mediante uma situação sem amor.

Entenda. Não creio o mundo mereça o “prêmio nobel do amor”, porque seríamos hipócritas de nos fazer cegos mediante o mal, apenas não vejo o amor como essa ferramenta sem utilidade eficiente em nossos dias.

É hora dos sobreviventes saírem dos escombros. Existe sim amor para viver. Somos remanescentes de uma era perdida em si mesmo, mas que ainda vê um futuro bom para as relações que desejam fugir do óbvio. Somos a resistência do amor gratuito. Somos aqueles que por teimosia insistem em amar.

Leia mais...
FacebookTwitterInstagramPinterestRSSFacebookTwitterInstagramPinterestRSS