Olá casamenteiras, tudo jóia?

Quando eu estava grávida, tomei suplementação de Ômega 3 a partir do terceiro trimestre, eram muitos comprimidos por dia, eu pareço criança tomando comprimido, um por vez e sempre com cara feia. Mas por filho a gente faz tudo não é? Tomei direitinho e sem reclamar.

Cada vez mais aparecem estudos comprovando a importância do DHA (ômega 3) estar presente na alimentação de gestantes, lactantes, crianças e na verdade, de todos nós. Na fase da gestação, essa substância garante a boa formação do sistema nervoso e dos olhos. Existem estudos que comprovaram que crianças cujas mães ingeriram a quantidade indicada de DHA durante a gestação tem uma maior capacidade de raciocínio, resolução de problemas, parece que fazem mais ligações neurológicas. Não é incrível?

ômega 3

Na lactação, tudo que a mãe ingere vai para o bebê através do leite materno, durante os primeiros anos de vida, o cérebro se desenvolve de forma assombrosa, muito rápido, e se a criança consumir níveis adequados de DHA ela tem um desenvolvimento cognitivo e visual muito superior as crianças que não tem uma nutrição adequada. Para as mamães que dão fórmula, verifiquem a quantidade da substância na embalagem, a Associação Brasileira de Nutrologia sugere que deve haver de 0,2% a 0,5% na composição do leite artificial.

Após esse período, até a adolescência,  ainda existem partes do cérebro em formação, como o lóbulo frontal, o que deve manter as mamães de “bebês” de todas as idades atentas ao que vai ao prato. As principais fontes naturais de ômega 3 são os peixes de águas profundas, salmão, arenque, sardinha e atum. É importante verificar a procedência do peixe que iremos consumir, peixes criados em cativeiro, não tem altos níveis de ômega 3 quanto os peixes selvagens, que se alimentam de algas. O atum enlatado é uma ótima opção e é confiável. A forma de preparo também é importante, prefira cru, assado, grelhado ou ensopado, fuja do peixinho frito.

salmão - ômega 3

Além dos peixes, a semente de linhaça, castanhas, nozes e óleos vegetais como o azeite de oliva, e os óleos de canola e soja também são fontes importantes de DHA na nossa alimentação. O consumo de DHA recomendado por nutricionistas é de no mínimo 500mg por dia, uma lata de atum tem um pouco mais que isso. Aqui em casa eu cozinho o arroz sempre com umas três ou quatro colheres de semente de linhaça e outras sementes boas como gergelim, chia, altera pouco o sabor e turbina o arroz nosso de cada dia.

Se você achar que não vai dar conta de suprir a necessidade diária através da alimentação, fale com o seu médico e invista nos suplementos, tem ótimas marcas no mercado, eu sugiro tomar antes de dormir para evitar um gostinho desagradável de peixe que pode aparecer, mas vale muito a pena!

Espero ter encorajado vocês a dar um up na alimentação!

Um beijo,

Kaká