gatos


Toxoplasmose e a gravidez

Oi Casamenteiras, tudo bem?

A toxoplasmose é uma doença causada por um parasita que está presente em carnes cruas, verduras, legumes e frutas, um adulto infectado pode muitas vezes nem perceber que teve a doença, e quando percebe os sintomas são de uma gripe comum, manchas vermelhas no corpo, gânglios inchados, muito raramente pode evoluir para um quadro mais grave.

Já em mulheres grávidas, o perigo é real. Quanto menor o tempo de gestação, maiores os danos que podem ser causados ao feto/bebê. A toxoplasmose durante a gravidez pode causar desde um aborto espontâneo, até deficiências permanentes de visão, audição, dentre outras consequências graves ao bebê. Todo cuidado é pouco!

Uma vez que você pegou essa doença você se torna imune a ela, normalmente os médicos pedem um exame para saber se você tem anticorpos no início da gestação e pedem novamente em outros períodos para garantir que você não contraiu durante a gestação.

Quem ama gatos põe o dedo aqui! Esses bichinhos tão fofos e espertos são minha paixão! Eu amo! Mas é importante falar sobre os cuidados que devemos ter no contato com essas fofuras durante a gestação para evitar a temida toxoplasmose. Os gatos domésticos e outros felinos são hospedeiros do parasita que causa a doença, a transmissão da doença se dá através do contato com as fezes do animal, e o parasita atinge o ponto onde a transmissão pode acontecer após 24 horas. Portanto, se a caixinha de areia do gato for limpa todos os dias, o ideal é mais de uma vez por dia, já diminui muito o risco de contaminação. Durante a gravidez, o ideal mesmo é que a grávida não faça essa tarefa, mas se for impossível fugir dela, use luvas e lave muito bem as mãos depois.

grávida com gatinho

Gatos de apartamento dificilmente estão infectados com a doença, ela é bem mais comum em gatos que vivem soltos e caçam passarinhos e outros bichos contaminados.

Os meus gatos (Mel e Fubá) vivem com a minha mãe no interior de São Paulo, levam a vida que todo gato pediu a Deus, subindo em árvores, tomando um solzinho no gramado do quintal e caçando alguns passarinhos de vez em quando. Portanto, durante a minha gravidez toda eu tomei muito cuidado no contato com eles, não pegava no colo e nem ficava muito perto, gerou até uma ciumeira da parte deles, depois que as crianças nasceram eu tive que reconquistar eles, foi trabalhoso, mas deu tudo certo.

gatinhoNesse assunto da toxoplasmose, os felinos acabaram levando a fama de vilões, mas os campeões de transmissão dessa doença na verdade são os alimentos. Carnes mal passadas e verduras, legumes e frutas mal lavados.

Eu sou louca por quibe cru, é uma das minhas comidas favoritas! Passei muita vontade de comer durante a gravidez toda! Tanta vontade que o marido pediu um delivery para eu comer ainda na maternidade depois que as crianças nasceram! Este é um cuidado que toda grávida deve ter, lavar muito bem todos os alimentos que for consumir e carne só muito bem passada!

O peixe cru, não transmite toxoplasmose, as grávidas amantes de comida japonesa podem comer tranquilas, o cuidado nesse caso é com a procedência do peixe, procure frequentar restaurantes bons, que você já conhece e sabe que servem peixes frescos, o perigo do peixe cru é a salmonela, uma bactéria forte, que causa uma virose violenta, desidrata um adulto em questão de horas, e durante a gravidez pode complicar um pouco mais. É bacana destacar também que a gestante deve maneirar no molho shoyu, que tem muito sódio e pode contribuir para o aumento da pressão arterial.

Gravidinhas, cuidem-se!

Beijos,

Kaká

Leia mais...
Casare - Seu Site de Casamento mais Elegante!

Casamento felino: gatos como inspiração

Imagine uma noiva apaixonada por gatos. Tão apaixonada que fez disso o tema do seu casamento!

Liza e Dean se casaram em Sydney, no Restaurante Porteño, em uma celebração muito felina! Do vestido aos comes e bebes, tudo na decor fazia referência à gatinhos. Em uma cerimônia simples e informal, as cores preto, branco e vermelho deram um ar vintage. Todos os detalhes são lindíssimos e super inspiradores para quem também quer fazer um casamento diferente:

Sydney_Wedding_Gold_Hat_Photography-608

Sydney_Wedding_Gold_Hat_Photography-56

Sydney_Wedding_Gold_Hat_Photography-604-576x383

Sydney_Wedding_Gold_Hat_Photography-607-576x383

Sydney_Wedding_Gold_Hat_Photography-117

Sydney_Wedding_Gold_Hat_Photography-119-576x384

Sydney_Wedding_Gold_Hat_Photography-120

Sydney_Wedding_Gold_Hat_Photography-127-576x383

Sydney_Wedding_Gold_Hat_Photography-133

Sydney_Wedding_Gold_Hat_Photography-197

Sydney_Wedding_Gold_Hat_Photography-288

Sydney_Wedding_Gold_Hat_Photography-339

Sydney_Wedding_Gold_Hat_Photography-369-576x384

Sydney_Wedding_Gold_Hat_Photography-527-576x384

Demais, né?

Fonte: RocknRoll Bride

Leia mais...

Por que os gatos fogem e como conseguem voltar pra casa?

Uma pergunta que eu sempre me faço é por que os gatos amam tanto dar suas fugidinhas de noite e como conseguem voltar por um caminho que não conheciam. Por que ficam horas desaparecidos e depois voltam como se nada tivesse acontecido?

Pesquisando sobre o assunto, achei uma explicação super bacana no blog do Dr Pet e achei interessante postar aqui!  A adestradora e consultora comportamental da Cão Cidadão, Claudia Terzian, diz que para entender esta questão é importante primeiro compreender como funciona a vida social, a importância do território e as capacidades sensoriais felinas.

“O território

Os bichanos são animais fissurados em conhecer e controlar seu território. Este se subdivide em várias áreas. A casa corresponde a área de alimentação, lazer e descanso. É uma pequena parte do território onde ele se sente seguro. Apenas os moradores da casa permanecem e transitam nela. Fora da casa existe uma área de circulação maior, em que estão os parceiros sexuais, a caça e na qual são tolerados um número maior de gatos e outros animais. Os passeios acontecem principalmente ao anoitecer ou de madrugada, e costumam ser bem mais longos do que seus donos imaginam. Alguns bichanos chegam a se afastar até dois quilômetros de suas casas!

Durante estes passeios acontecem os barulhentos encontros entre os gatos que moram naquela região. Quando uma ou mais fêmeas deste território entram no cio os machos das proximidades são atraídos e podem não retornar para casa por alguns dias.

Memória visual e olfativa

Os gatos enxergam o mundo com cores e de forma diferente, mas têm boa memória para reconhecer praças árvores ou prédios e se orientar por eles. A memória visual trabalha em conjunto com a olfativa. Uma confirma a outra.

A capacidade olfativa dos gatos é incrivelmente superior a humana, perde apenas para os cães! Plantas, casas, lojas, ruas e regiões possuem cheiros específicos, que ajudam a reconhecer os locais. Eles podem se localizar também pelo odores deixados pelos animais que circulam pela região. Os bichanos que costumam percorrer grandes distâncias estão bem familiarizados com esses cheiros. Aqueles que praticamente nunca saem de casa recebem uma parte desses odores, que são trazidos pelo vento.

Uma vez reconhecida a pista olfativa, ainda é preciso descobrir em que direção caminhar, e os gatos podem ir e vir buscando mais cheiros, até acertar. A direção do vento é outro fator importante tanto para guiar o felino, quanto para trazer os odores que podem estar bem distantes. Da mesma forma, pequenas mudanças do vento podem fazer com que ele se perca novamente.

Gatos com múltiplos donos

E vocês sabiam que gatos de vida livre podem ter mais de um dono?! Pois é! Podem tomar o café da manhã em uma casa a almoçar em outra! O outro dono pode resolver não deixá-lo mais passear e somente quando conseguir fugir ele aparecerá novamente. Se ele estiver em outra casa e um bichano da redondeza decidir expulsá-lo da área da sua casa, ele pode permanecer na outra casa por algum tempo, até que possa voltar.”

Texto Claudia Terzian (adestradora e consultora comportamental da Cão Cidadão)

Por Karla Keunecke

♥♥♥

Fonte: Blog do Dr Pet

Foto: Imotion

Leia mais...
Facebook Twitter Instagram Pinterest RSS Facebook Twitter Instagram Pinterest RSS