organização de casamento


Quando o fofo pode ser ainda mais – Pajens e Daminhas | Casamentando com Pri Vicente

Após anos organizando pajens e daminhas nos casamentos, eis que chega minha hora de estar “do lado de lá”.

Pajens e daminhas

Sim, vou ser mãe do Pajem… nossa estou com o frio na barriga que só: E se ele não entrar? E se ele parar no meio do caminho? E se ele voltar para trás? E se o sapato que eu comprei não servir mais no dia do casamento? Coloco o sapato para usar e “amaciar” e corro o risco de sujar ou não uso e corro o risco de machucar ele no dia?

 

Os 3 lados da moeda

Enfim, posso garantir que como organizadora de eventos nunca havia pensado em metade dessas perguntas, e como noiva também não! Hoje, tendo os 3 pontos de vista, acredito que posso falar com propriedade algumas questões importantes sobre pajens e daminhas… então, vamos às dicas para as noivas que estão pensando em encher de fofura a cerimônia de casamento!

Primeira coisa que você deve se perguntar é: estou disposta a arriscar dar alguma coisa errado nesse momento?

Se sua resposta for não, procure crianças com mais de 06 anos e que tenham intimidade com um dos noivos para fazer parte desse momento, assim dá para garantir o controle da situação!

Caso sua resposta seja sim, vamos pontuar algumas questões para que o risco seja o menor possível:

  1. Quanto mais íntima a criança for de um dos dois, mais motivação para chegar até o altar ela terá.
  2. Se forem crianças muito pequenas, vale ponderar a possibilidade dela entrar antes da noiva e não depois. Pq esperar até o momento da troca das alianças, “sozinha”, fora da cerimônia, pode ser algo cansativo e que aborreça a criança.
  3. Ter uma lembrancinha após a “tarefa” cumprida é sempre um bom incentivo,
  4. deixar os bancos da frente (mais próximos ao altar) reservado para mães ou avós dos pequenos pode ajudar a eles andarem boa parte do caminho,
  5. Peça aos pais para levarem os pequenos ao banheiro e não dar muito água logo antes da cerimônia

Pajens e Daminhas

“Regras de Conduta”

É sempre importante deixar claro para todos qual é a sua vontade caso algo dê errado! Por exemplo, se a criança parar e não quiser entrar, você prefere que um adulto a conduza até o altar, ou até o meio do caminho, ou deixa sem a entrada?

Tem algumas noivas que podem preferir de um jeito e outras de outro, não tem como a sua assessora ou seus amigos saberem o que fazer nesse momento se você não os orientou antes!

É muito comum também mães de daminhas e pajens serem madrinhas, e se eles travam no meio as mães saem do altar e vão pegar os filhos, essa é uma boa opção para você?

Pense nas possibilidades e deixe tudo bem claro para todos, principalmente para os pais e para a equipe que está organizando seu evento!

 

Em caso de emergência

Se você faz questão de crianças, mas não confia que suas alianças chegarão até o altar, temos 2 opções:

  • a primeira, é deixar as alianças reais no bolso do noivo e colocar na almofadinha alianças simbólicas,
  • a segunda é optar por floristas (são as crianças que vem antes da noiva, como um “abre alas”).

Pajens e Daminhas

Elas podem vir jogando pétalas (nesse caso vale a pena ter uma fila indiana de meninas para cumprir essa função, o efeito fica uma graça)

Podem vir distribuindo flores para os convidados (nesse caso 1 criança já cumpre bem o papel mas 2 fica perfeito, assim cada uma distribui flores para um lado do corredor).

Em versões mais recentes também incluíram os meninos no papel de abre alas, vieram as plaquinhas e os balões.

 

Tem criança que ainda nem anda e já esta enchendo de amores os convidados da cerimônia, confira as opções para os mais novinhos:

Carrinhos antigos

 

Carrinhos de puxar

Até carrinho eletrônico

 

Os carrinhos ainda podem ser enfeitados com plaquinhas de pajem/daminha em treinamento, já viram?

 

 

 

Para as roupinhas também existem idéias bem originais:

 

Bailarinas

Daminhas/floristas podem ser bailarinas por exemplo

 

Segurança do anel

Já o Pajem pode se transformar em segurança profissional

Ou quase…

 

 

Vintage de luxo

O Boho Chic veio para ficar, e as crianças ficam ainda mais fofas com esse estilo

 

Tule

E também não poderia deixar de fora esse clássico encantador.

 

Enfim… quando se trata de crianças em casamento existe uma referência mais linda que a outra, difícil escolher quais colocar aqui… vontade de não parar mais de por foto!

Se a gente for procurar por aí, tem uma referência mais linda que a outra, aqui eu queria era mesmo dar algumas dicas, prós e contras e alguns pontos importantes que devem ser pensados quando se trata desse momento, afinal criança é sempre uma caixinha de surpresas, só uma coisa é certa quando se trata de criança: estoque de fofurisse sem fim!

 

Por:
Priscila Vicente
Produtora e organizadora de eventos.

 

Como a Pri disse, é tanta fofurisse que se deixasse, a gente não parava mais de inserir fotos, mas vamos adicionar muitas inspirações no nosso Pinterest também! Assim vocês terão ainda mais opções para se inspirar, e a gente mata a vontade de compartilhar o monte de fofurisse que encontramos!

Um beijo,
Catita

Leia mais...
Casare - Seu Site de Casamento mais Elegante!

Buffet: escolhendo o melhor serviço para o seu casamento

A escolha do buffet vai além do gosto do casal: envolve desde o perfil dos convidados até o orçamento

Uma decisão importante ao escolher o buffet é definir qual será o tipo de serviço oferecido:  à americana (buffet), à inglesa, à francesa, coquetel volante? As opções são várias e a escolha depende de alguns fatores, como o estilo do casamento, o orçamento dos noivos e o perfil dos convidados. No post de hoje, além de entender um pouco mais sobre cada tipo de serviço, você vai entender as vantagens (e desvantagens) de cada um deles.

Renata D'Almeida

 

Tipos de serviço:

  • À americana (buffet): Nesse serviço, os convidados vão até o buffet para se servir. Normalmente, a montagem é espelhada, ou seja, os mesmos pratos são oferecidos dos dois lados – dessa forma, formam-se duas filas para agilizar o serviço. Indica-se 1 garçom para cada vinte convidados. No geral, reserva-se uma hora para esse tipo de serviço.

  • À inglesa e à francesa: Os convidados são servidos à mesa pelos garçons. Normalmente, é servido uma entrada ou salada, dois pratos principais e a sobremesa. A diferença está relacionada à forma como as mesas são montadas. Calcula-se 1 garçom para cada duas mesas no serviço à inglesa e 1 garçom para cada cinco convidados no serviço à francesa. O tempo de jantar é maior – cerca de uma hora e meia, pois deve-se esperar que todos à mesa acabem o prato para que ele seja retirado e o próximo seja servido.

  • Coquetel volante: Normalmente usado em eventos em que as pessoas ficam mais de pé, esse tipo de serviço é aquele em que os garçons circulam com bandejas pela festa servindo os convidados. As comidas servidas são aquelas que podem se comer com a mão (finger foods) ou então pequenas porções. Calcula-se 1 garçom para cada 15 convidados.

shutterstock_99478187 (1)

Qual a melhor opção para o meu casamento?

Antes de decidir o tipo de serviço que será oferecido no seu casamento, é essencial analisar alguns pontos. Para começar, pense no estilo da sua festa: vai ser algo mais formal e tradicional ou mais descontraído e moderno? No primeiro caso, os serviços à inglesa ou francesa são os mais indicados, enquanto o buffet é ideal para casamentos mais informais. Mas se o casal for daqueles que quer curtir cada minutinho da festa, o coquetel volante permite que os convidados sejam servidos na pista e não deixem a festa desanimar.

shutterstock_374304697 (1)

O perfil dos convidados é um fator que deve ser levado em consideração. Por exemplo: se o seu casamento tiver muitas pessoas de idade, os serviços inglês e francês são os mais convenientes, uma vez que os convidados não precisam levantar para se servir. Além disso, esse perfil de convidados adora o tempo sentado à mesa, já que é o momento em podem conversar.

Já o orçamento é um fator importante para definir o tipo de serviço de buffet do casamento: serviços à inglesa e francesa exigem um número maior de garçons, portanto o custo será maior. Já o coquetel volante ou mesa de buffet diminui o gasto com pessoal, uma vez que os próprios convidados se servem.

 

Cuidado! Algumas dicas para não errar no serviço:

  • Tempo: Um dos maiores cuidados que se deve ter com os serviços inglês e francês é a demora para se servir todos os convidados. A partir do momento em que a primeira mesa é servida, em, no máximo, 10 minutos, todas as outras mesas devem estar servidas.

  • Comida fria: Mais uma precaução que se deve ter nos serviços à inglesa e à francesa. Como os pratos são montados previamente na cozinha, deve-se cuidar para que eles não cheguem frios à mesa.

  • Sempre à mão: No coquetel volante, o ideal é que os garçons passem diversas vezes em cada área do casamento. Não faça seu convidado ter que ir atrás de um garçom para poder se servir.

  • Filas longas: Se você optar por serviço à americana, certifique-se de que serão montados buffets suficientes para atender de forma confortável todos os seus convidados, sem que eles percam muito tempo na fila.

Ficou com alguma dúvida ou quer compartilhar a sua experiência aqui no blog? Então deixe seu comentário aqui embaixo ou entre em contato com o Casamenteiras. :)

Beijos!

Leia mais...
Facebook Twitter Instagram Pinterest RSS Facebook Twitter Instagram Pinterest RSS